Prefeito de Tauá propõe reajuste salarial de até 4% sem retroatividade e professores rejeitam

Mais uma vez não houve acordo entre o Sindicato Apeoc e a Prefeitura de Tauá na discussão do reajuste salarial dos professores da rede municipal de ensino.

Nesta sexta-feira, 15, uma comissão do Sindicato esteve reunida com o prefeito Carlos Windson no final da tarde e recebeu duas propostas de reajuste, ambas inferiores ao aumento concedido pelo MEC, de 6,81% e sem retroatividade a 1º de janeiro.

As propostas foram levadas para a assembleia geral realizada no Auditório da CDL e a categoria rejeitou.

Veja a nota divulgada pelo Sindicato na noite de hoje(15)

O Sindicato Apeoc esteve reunido hoje (15/06) às 17h no gabinete do prefeito Carlos Windson para tratar da proposta de reajuste salarial por parte do gestor municipal. A equipe do prefeito apresentou um parecer de impacto financeiro do referido reajuste com uma estimativa da margem para o aumento de 2,58% inicialmente retroativo a maio/2018e depois a janeiro/2018. Então o prefeito apresentou outra proposta de 4% a partir do próximo pagamento (junho).

Vale ressaltar que Apeoc defende que o reajuste seja 6,81% e apontou possibilidades para isto.

Logo em seguida, houve nossa assembleia geral dos profissionais da Educação às 18:30h no auditório do CDL (Câmara dos Dirigentes Lojista de Tauá) para avaliar a proposta da Prefeitura Municipal. As duas estimativas de reajuste não foram acatadas pela categoria.

Então foi marcada uma nova assembleia geral para próximo sábado (23/06) em local a ser agendado e deliberar sobre o rumo a ser trilhado e durante a semana os professores irão se mobilizarem para fortalecer a luta e conscientizar os colegas para se envolverem na defesa de nossa classe.

 

Leia também

© 2018 – www.difusorataua.com.br – Todos os direitos reservados.

Site desenvolvido por Auranet Hospedagem de sites