Cearense morta no Rio de Janeiro foi esfaqueada por ciúmes, diz família

Jovem sofreu golpes de faca no pulmão e na coluna

Jovem chegou a ser levada para um hospital, mas não resistiu aos ferimentosFoto: Reprodução/Facebook
A família da cearense Crislyrrane de Sousa Bonfim, 23,  morta a facadas por uma pessoa em situação de rua no Rio de Janeiro, afirma que um dos motivos da morte da jovem teria sido ciúmes. O assassino de Crislyrrane tinha esperança de ter um relacionamento com ela. De acordo com Roberlândio Bonfim, primo da vítima que esteve na Polícia Civil do Rio de Janeiro, o criminoso atingiu a atendente de supermercado com golpes de faca no pulmão e na coluna. Ela foi morta na quinta-feira (13).

“Na quinta-feira, pela manhã, a Crislyrrane ligou pra gente quando tinha acontecido o crime. O problema foi hemorragia. Ela chegou a ser levada para um Hospital, mas não resistiu. O médico disse se ela tivesse sobrevivido iria ficar paraplégica”, contou o primo da jovem ao Diário do Nordeste.  Na manhã de sexta-feira (14), os amigos do Rio de Janeiro participaram do velório da vítima, no bairro Recreio dos Bandeirantes.

Ainda na quinta-feira, os pais de Crislyrrane foram avisados sobre a morte da filha. “Eu acompanhei os pais delas na Delegacia e no Instituto Médico Legal (IML), para o reconhecimento do corpo”, diz Bonfim. A vítima deixou uma filha de dois anos. O velório na terra natal de Crislyrrane acontece no domingo (16). O enterro está programado para segunda-feira (17), no cemitério Santa Rita.

Crime

Crislyrrane de Sousa Bonfim foi morta a facadas por um mendigo, no Rio de Janeiro, no último dia 13 de dezembro. Ela morava no Rio de Janeiro há cinco anos e trabalhava em um supermercado no Bairro Recreio dos Bandeirantes. Segundo parentes da vítima, Crislyrrane ajudava o mendigo há muito tempo junto a outros colegas de trabalho.

Leia também

© 2018 – www.difusorataua.com.br – Todos os direitos reservados.

Site desenvolvido por Auranet Hospedagem de sites