Tauá: réu que atirou contra agente de cidadania e uma mulher é condenado no regime semiaberto

O tribunal do Júri Popular de Tauá esteve reunido nesta quarta-feira 23, para julgar o réu Francisco Helder Oliveira Mota, acusado de duas tentativas de homicídio, em que foram vítimas o Agente de Cidadania Francisco Zuca Rafael Vieira de Macedo e a dona de casa Edna Lira Souza.

Helder, no dia 24 de fevereiro de 2013, na localidade de Poço da Onça no Distrito do Carrapateiras, efetuou dois disparos de arma de fogo que atingiram o Agente de Cidadania Zuca e a senhora Edna.

Os crimes aconteceram no bar do José Alencar, durante uma confusão entre o dono do bar e um irmão do acusado, o José Neto Oliveira Mota, fato ocorrido por volta das 19h. No momento em que os agentes de cidadania chegavam no local para por um fim a desavença, Helder que estava em seu carro sacou um revólver e atirou contra o agente Zuca, que foi atingido apenas de raspão, pois fazia uso de um colete de fabricação artesanal. Outro tiro atingiu a mulher que passava na rua. Depois dos tiros, Helder foi dominado pelos agentes e entregue a Polícia.

No julgamento desta quarta-feira(23), os jurados entenderam que o caso relacionado a mulher não constituiu uma tentativa de homicídio, a mesma, foi vítima de uma bala perdida, pois o autor dos disparos não teve a intenção de atingi-la. No final dos debates entre acusação e defesa, o réu foi condenado a 4 anos e 6 meses de reclusão no regime semiaberto.

Na acusação trabalhou a Promotora de Justiça Dra. Karina e a defesa do réu foi feita pelo Defensor Público Dr. Antônio Filho. A sessão do Júri foi presidida pela Juíza Dra. Giselli Lima.

Lindon Johnson

Leia também

© 2018 – www.difusorataua.com.br – Todos os direitos reservados.

Site desenvolvido por Auranet Hospedagem de sites